domingo, 13 de dezembro de 2009

Estou em casa!

Estou em casa!
Três Barras, minha cidade natal e o lugar onde eu gosto de estar.
É provável que por estar aqui, eu deixe de lado o blog, esta vida inventada, e explosão de sentimentos, a saudade e o tempo.
É bastante provável que eu volte à ativa, jogue bola, ande de bike, saia de carro, brinque, ria e chore, mas que nada disso venha parar por aqui.
Em minha cidade são tantas opções... Não temos cinema nem grandes lojas, mas aqui fazemos os melhores jogos e as mais deliciosas noites entre amigos...
Bem, eu estou em casa e quem sabe em uma tarde de chuva, ou noite de insônia eu lhes conte como tem sido, mas não esperem mais nada, afinal eu estou em casa...

bijo, beio, beijo (diretamente de TB City)
Gi.

terça-feira, 8 de dezembro de 2009

Meus tênis surrados, minha calça xadrez

Na murada da sacada, pensando nas coisas que nunca irei dizer e vendo a rua lá embaixo.
Meus tênis surrados, minha calça xadrez.
É estranho que para não machucar o outro você rumine o veneno e espere que ele se dissolva, é o que gosto no silêncio. Porque eu simplesmente gosto dele. Assim como gosto de meus tênis. Ambos me levam a novos lugares, é a cabeça que viaja são os pés que carregam o corpo.
Então eu no meu silêncio, tentando encontrar a explicação para a mentira. Porque não, eu não gosto da mentira. A mentira é um veneno ainda meis forte que as palavras não ditas. mentira quebra elos de confinça que não podem ser reparados.
Novamente eu, no meu silêncio, procurando explicações que me fizessem acreditar que não foi nada e que não tornaria a acontecer. Difícil.
Tentando não pensar em quantas vezes antes desta já aconteceu.
Eu no meu silêncio, meus tênis surrados e minha calça xadrez.
beijo, beijo, beijo
Gi.

segunda-feira, 7 de dezembro de 2009

É aqui

Quando irada, cansada, triste ou feliz, é aqui.
Tal qual uma caverna de espelhos, olhando fundo em meus próprios olhos,
Buscando nas palavras a explicação para o que estou sentindo.

Ponto.

sábado, 5 de dezembro de 2009

Ira

Você pode querer que o mundo se exploda;
Pode torcer para que o tempo passa depressa;
Pode chorar no sofá até se acabar.
Mas a verdade é que quando a tempestade em seu peito passar;
Quando a ira ou tristeza terminar;
Saudade deste tempo é o que vai restar.

Por muitas vezes abri e fechei esta página por que as primeiras palavras na minha cabeça eram um pedaço da canção:
"Quero que o mundo se exploda,
que o sol nasça quadrado,
Que a terra continue redonda"

Pois bem, hoje quero mesmo que o mundo se exploda, mas se pensar no futuro, desejo ter tempo de ter férias e a companhia daqueles que amo. Então se a situação está mesma ruim, as possibilidades de que melhorem são ainda maiores.

sexta-feira, 27 de novembro de 2009

Últimas palavras, ou a marca que gostaria de deixar

Capitão Gancho era obcecado por elas, B.P. mesmo o cita na sua "carta de despedida". Um personagem de Gay Talese realmente a escreveu e Rosa Monteiro ensaiou.
Seres preocupados com a última impressão que deixariam no mundo. Não apenas às pessoas que amam, mas aos outros.
Se fosse minha última chance afinal, o que diria sobre mime sobre o meu mundo?

Fui engenheira e escritora, tive muitos sonhos, realizei alguns, outros se perderam. Lutei batalhas que julguei justas e me arrependo do que apenas observei passar.
Espero ter deixado mais que apenas obras não lidas e histórias por terminar e blá, blá, blá...

Não saberia como continuar. Quem sabe a vida ainda tenha sido miuto breve para mim. Quando a experiência bater à minha porta e com ela a morte parecer mais próxima, então saberei o que colocar no papel...

Você sabe?

beijo, beijo, beijo...
Gi.

quarta-feira, 25 de novembro de 2009

Palavras

Minhas palavras são marcos,
Marcam na história o que já vivi.
Pistas de um sentimento passado,
Relatos de um tempo que já se foi.
Minhas palavras são minhas pegadas,
As arcas que deixo no mundo,
Algumas tristes, outras alegres,
E outras,
Apenas são palavras.

beijo, beijo, beijo

segunda-feira, 23 de novembro de 2009

A máquina

Eu tinha mais ou menos 8 anos e minha mãe a comprou.
Símbolo da sofisticação no final da década de oiteinta.
A máquina Olivetti em sua capa cinza, a sensação do momento.
Perdi a conta do número de trabalhos que desenvolvi nela.
Catando as letras com uma determinação ferrada.
Minha letra era horrível, mas as dela perfeitamente desenhadas.
A máquina Olivetti cinza em sua maleta de mesma cor...
Saudades do som das teclas, do corretivo, da portabilidade, do enroscar de fita...
Saudades de ser uma criança preocupada com a estética e o status de um trabalho batido à maquina.
Saudades...

beijo, beijo, beijo...
Gi.

quinta-feira, 19 de novembro de 2009

A louca da casa

"A imaginação é a louca da casa" (Santa Teresa de Jesus)
Ok, citar uma santa não é mesmo a minha cara, mas estou lendo "a louca da casa" de Rosa Montero e como geralmente acontece, entrei de cabeça. As frases bem escritas, as passagens hilárias, ainda estou no princípio, mas algo me diz que logo será devorado. Ela fala sobre a "insanidade" de nós romancistas e me vejo refletida em suas palavras. A mesma mania de invetar histórias a partir de uma frase, de olhar para uma cena e imaginar seu desfecho, de passar o dia todo escrevendo na cabeça coisas que não irão ao papel. "...à imaginação. A essa louca por vezes fascinante e por vezes furiosa que mora no sotão. Ser romancista é conviver felizmente com a louca lá de cima." (RM).
Legal!
Então é hora de deixar a louca sair, vou voltar aos escritos...

beijo, beijo, beijo!
Gi.

terça-feira, 17 de novembro de 2009

Ganhei um selinho dedico ele a:


A Josi do josistanger.blogspot.com me dedicou este selinho e a tarefa de assumir 3 compromissos e dedicar este selinho também.
Compromissos:
* Ler um pouco menos;
* Sair um pouco mais;
* Não me preocupar com o que não pode ser controlado.
Dedico à:
* adverbiointensidade.blogspot.com
* justme-cutepoeticgirl.blogspot.com
Agora é só torcer para conseguir cumprir meus compromissos!
beijo, beijo, beijo...

segunda-feira, 16 de novembro de 2009

A noite

A noite lá fora é a promessa de que o dia virá;
O vento sopra suave balançando levemente as folhas das árvores;
Uma mãe acalenta seu filho em uma casa não muito distante;
As crianças dormem cedo, pela manhã tem aula.
Da sacada do nosso apartamento vejo os carros passando,
Vejo luzes se apagando devagar;
Jovens indo ou vindo de suas baladas,
Amanhã é novo dia...
Então que venha a noite!

beijo, beijo, beijo...

quinta-feira, 12 de novembro de 2009

É hoje!!!

Obrigada a todos que lembraram e aqueles que foram lembrados pelo orkut.
Foi muito bom ler todas as mensagens e algumas conseguiram mesmo me deixar emocionada.
Saudade do bolo de chocolate com a Jaque a Déia e a Andy na casa da Déia
Do bolo seguido por jogos com o Bruno, a Polly, o Charles e cia
Das noitadas de garotas com minhas maninhas, mais lindas.
Amo todos vocês que moram em cantinhos especiais do meu coração.
Por mais que a distância pareça enorme, hoje meu dia foi de vocês.

beijo, beijo, beijo

Agora com 28 velinhas!!!

quarta-feira, 11 de novembro de 2009

Amanhã...

Amanhã acontece, ele vai iniciar, terminar
e espero sinceramente que se for para mudar que seja melhor.
Não quero pensar no tempo que passou, mas no que virá.
Amanhã é um novo dia e quero apreciá-lo em todo o seu, ou o meu, potencial
Amanhã é um novo dia, espero ter abraços, carinhos e mensagens amigas.
É o que todos esperamos quando chega amanhã.
Então que o amanhã seja um lindo dia e que aquelas pessoas que não vejo a tempos, me desejem um ótimo ano, pois por mais que eu o deseje é bom saber que tem mais alguém torcendo por mim.
E isso será amanhã!

beijo, beijo, beijo...
Gi.

terça-feira, 10 de novembro de 2009

Alguns tem a força...

Algumas pessoas que tem uma força incrível!
Um mulher magra, camiseta sem estampa, jeans surrados, o que você daria por ela?
Crianças na Índia entregaram suas vidas nas mãos de uma pessoa assim.
Zana Briski, chegou, ensinou e lutou por crianças que não eram suas, fez mais por elas do que a família era capaz de fazer, a chance de um futuro onde a palavra simplesmente não existe.
No início não prestei atenção, mas os relatos das crianças acabaram me fazendo largar o que fazia e mesmo no desconforto do balcão fiquei firme, vi todo o documentário, não me arrependo.
Nascidos em Bordéis, ensina aos que pensam saber tudo, que existe coisas simples a aprender.
Fiquei co vontade de ver novamente. Minha sorte?
Sexta-feira é aula espelhada e lá estarei.

beijo, beijo, beijo...

segunda-feira, 9 de novembro de 2009

O que dizer...

A alguns segundos apenas,
Um tempo relativamente curto ou imensamente longo...
A alguns segundos apenas,
Eu sabia exatamente o que dizer...
Tinha na mente as frases previamente estudadas,
Cada palavra, cada vígula...
Perdi, um único momento e pronto.
Apagou-se, se foi...
Era uma vez,
Não existe mais...
Quem sabe mais tarde, em um outro instante eu encontre...
Então, até lá...

beijo, beijo, beijo...

quarta-feira, 4 de novembro de 2009

Meus popys pais...

Eles são heróis, mas não como os outros pais que são heróis apenas por terem filhos.
Meus pais são o máximo!
Ele é o superhomem,
Ela a mulher maravilha.
Com sua visão de raio x ele sabe identificar quando preciso de um abraço.
Ela pega seu laço e me mantém na linha.
São melhores...
E não sei acho que a comparação ainda não foi boa
Porque eles trabalham feito loucos,
São evidência naquilo que fazem, mesmo tendo a distração de três filhas a pentelhá-los o tempo todo.
Eles nos vêem crescer e se orgulham de nós, falam aos amigos com o peito estufado: minha meninas? Ah! A mais velha isso a do meio aquilo a mais nova um outro tanto...
São hilários quando bebem e mais hilários ainda quando acabam de acordar.
Minha mãe diz: Zoe seu filho enquanto pode, eles vão te zoar também! Isso depois de abrir a porta da geladeira num domingo à tarde só pra encontrar o pote de doce vazio com o bilhetinho: Vixi Terminou!
Meus pais?
Ah! Meus pais são os bons! Tem um caminhão azulão, uma escola, eles são so "caras"
Quando eu crescer?
Quem dera eu seja a metade deles e os 25% de meus avós de quem eles também se orgulham!

beijo, beijo, beijo...
Gi.

segunda-feira, 2 de novembro de 2009

Coragem?

Se eu tivesse a coragem que gosto de aparentar,
Se bem lá no fundo não tivesse consciência de minha covardia,
Se por tantas vezes não me sentisse uma farsa.
Mas quando o olho o céu sem nuvens,
O sol a brilhar insistentemente,
O dia insuportavelmente quente.
Me acovardo, e retraio,
Esqueço o que vim buscar,
Meu coração se aperta e todos os planos virão borrões.
Quem sabe uma nova vida não esteja no novo lugar,
Mas na coragem de mudar o que existe dentro de si.
Logo coragem que não é a minha palavra...


beijo, beijo, beijo...
Gi.

domingo, 1 de novembro de 2009

eu...

Cabelo arrepiado,
Cara de sono,
Sardas no rosto...
Ruguinas na testa.
Só eu.

beijo, beijo, beijo...
Gi.

sexta-feira, 30 de outubro de 2009

É por isso que eu as amo...


Estão sempre rindo, brincando, zoando, sorrindo.
É por tudo isso, ou apenas por isso que eu as amo.
beijo, beijo, beijo...
Gi.

quinta-feira, 29 de outubro de 2009

Só quatro

Pensei em um dado momento que deixar de escrever aliviasse meu sentir.
Sentada em minha cama com o terceiro livro nas mãos, revezando entre o aperto e o choro, sentindo mais saudades do que gostaria de demonstrar, percebi que não. Não existe remédio que cure o que sinto, estar viva significa rir e chorar, sentir e deixar que sintam, abrigar-se em um lugar seguro e respeitar o silêncio.
Eram quatro as garotas da história, quatro histórias que se fundiam, quatro seres unidos pelos laços da amizade. Percebi que é este o número e me peguei pensando em como a história se repetia. Minha irmã fazia parte de um quarteto, eu fui parte de um, hoje me sinto ligada em outro do qual sinto saudades, minha mãe e suas amigas de colégio.
Mulheres que se unem em quartetos completando umas as outras dividindo o peso, somando e diminuido do mesmo número, chegando sempre ao mesmo resultado.
Os olhos dizem que são apenas quatro, a alma contabiliza um infinidade de possibilidades.

beijo, beijo, beijo... + 1 para dar 4: Beijo.
Gi.

quarta-feira, 28 de outubro de 2009

Só uma canção...

Me Adora

Tantas decepções eu já vivi
Aquela foi de longe a mais cruel
Um silêncio profundo e declarei:
"Só não desonre o meu nome"
Você que nem me ouve até o fim
Injustamente julga por prazer
Cuidado quando for falar de mim
E não desonre o meu nome
Será que eu já posso enlouquecer?
Ou devo apenas sorrir?
Não sei mais o que eu tenho que fazer
Pra você admitir
Que você me adora
Que me acha foda
Não espere eu ir embora pra perceber
Que você me adora
Que me acha foda
Não espere eu ir embora pra perceber
Perceba que não tem como saber
São só os seus palpites na sua mão
Sou mais do que o seu olho pode ver
Então não desonre o meu nome
Não importa se eu não sou o que você quer
Não é minha culpa a sua projeção
Aceito a apatia, se vier
Mas não desonre o meu nome
Será que eu já posso enlouquecer?
Ou devo apenas sorrir?
Não sei mais o que eu tenho que fazer
Pra você admitir
Que você me adora
Que me acha foda
Não espere eu ir embora pra perceber
Que você me adora
Que me acha foda

sexta-feira, 16 de outubro de 2009

Eu espero

Espero que seja uma fase e passe tão logo me acalme;
Espero que seja rápida e que não deixe vestígios de sua passagem;
Espero que pare de doer,
Espero que o tempo melhore,
Espero que hoje seja melhor que ontem e amanhã melhor do que hoje.
Espero estar errada,
Espero descobrir o erro,
Espero não chorar quando o dia terminar.
Espero não ter mais medo e que a angústia evapore,
Espero descobrir que o buraco não é tão fundo,
Espero que com o novo dia venha uma nova esperança e que ela não se apague quando a noite chegar.
Espero dormir bem,
Espero ser forte,
Espero o abraço,
Espero aprender com a saudade.
Só espero parar de esperar,
Espero o movimento que me mantinha feliz e a felicidade que me mantinha em movimento.
Não espero pelo fim, apenas por um novo começo.

beijo, beijo, beijo...

quinta-feira, 15 de outubro de 2009

Esse garoto...

É raro vê-lo chorar, fazer manha então, não é a dele.
O garoto é cheio de risos,
Seus olhos brilham de uma alegria que não sei explicar.
Pra ele está tudo bem.
É timão como a vó, mesmo que apenas para ganhar presentes.
Brinca de "Fodo" (Frodo) com seu anel na correntinha,
Pula no colo do avô esperando sempre que seus braços sejam sempre fortes para suportá-lo.
O garoto corre para todo lado, beija e abraça as pessoas que ama.
Ele não vai para a rua, e também entende quando dizemos que não.
Queria a almofadinha do corintians, mas ganhou um uniforme novo e brincou com ele o resto do dia.
O garoto tem um sorriso fácil, e quem sabe ele seja como todos os outros garotos, mas eu o amo e isso faz com que para mim ele seja sempre especial.

beijo, beijo, beijo...

p.s. Olha a foto e diz que não se apaixonou pelo sorriso.

quarta-feira, 14 de outubro de 2009

É a vida...

Segue sem medo, sem pressa.
Quem sabe nela estejam todas as respostas, ou no final dela quem sabe...
Ouço palavras que não me dizem nada,
Vejo rostos que repudio.
Um nariz empinado, um olhar debochado, haja saco!!!
Se toca! Tira o rei da barriga e olha ao redor!!!
Que merda! Como diz minha mãe: "rabugem só dá em cachorro magro mesmo..."
Me olha com cara de nojo, nem me conhece!
Eu já faço questão de não conhecer.
Garota entojada, ainda falta meio semestre...
É a vida, terei que aguentar este tipo, acho que nem ela se aguenta.
Chega em casa com sua cara de cocô, olha o espelho e diz:
- Que merda!
Vai dormir e acorda com o mesmo olhar de quem comeu e não gostou...
Que pena,
É a vida!

beijo, beijo, beijo...

segunda-feira, 5 de outubro de 2009

Que me dê tempo

Peço ao tempo que me dê tempo,
Digo a ele que amanheci indisposta, que a noite foi muito curta, que ainda existem coisas para fazer.
As tarefas que tenho, os lugares que devo ir, as missões em que sou indicada.
Peço ao tempo que me dê tempo,
Que o sol perca a hora, que a noite se deixe ficar...
Só mais um tempo...
Um tempo para ficar de bobeira,
Para escrever no meu blog,
Para ver as nuvens passando no céu.
Um tempo para esquecer quem sou e me perder,
Para sorrir sem motivo e contar estrelas,
Para me deixar levar por um impulso.
Peço ao tempo que me dê tempo.
Para entender o que desconheço,
Limpar meus sapatos surrados,
Jogar bola com os amigos...
Peço ao tempo que me dê tempo.
De vomitar os sapos que já engoli,
De esquecer aquilo que me encomoda,
De falar ao mundo que estou farta.
Só peço ao tempo que me dê tempo...

beijo, beijo, beijo...

sexta-feira, 2 de outubro de 2009

Formato mínimo


Compositor(es): Samuel Rosa - Rodrigo F. Leão

Começou de súbito
A festa estava mesmo ótima
Ela procurava um príncipe
Ele procurava a próxima

Ele reparou nos óculos
Ela reparou nas vírgulas
Ele ofereceu-lhe um ácido
E ela achou aquilo o máximo

Os lábios se tocaram ásperos
Em beijos de tirar o fôlego
Tímidos, transaram trôpegos
E ávidos gozaram rápido

Ele procurava álibis
Ela flutuava lépida
Ele sucumbia ao pânico
E ela descansava lívida

O medo redigiu-se ínfimo
E ele percebeu a dádiva
Declarou-se dela o súdito
Desenhou-se a história trágica

Ele enfim dormiu apático
Na noite segredosa e cálida
Ela despertou-se tímida
Feita do desejo a vítima

Fugiu dali tão rápido
Caminhando passos tétricos
Amor em sua mente épico
Transformado em jogo cínico

Para ele uma transa típica
O amor em seu formato mínimo
O corpo se expressando clínico
Da triste solidão a rubrica

Na minha opinião?
Perfeita poesia...

beijo, beijo, beijo...

quinta-feira, 1 de outubro de 2009

Contornando...

Contornar olhar perdido, tranformá-lo em doce sorriso...
Limpar o que está sujo, escrever o trabalho de redação para rádio, ir trabalhar, estudar o próximo passo, não chegar a conclusão alguma, continuar escrevendo...
Assistir a algum seriado, ir ao mercado antes do almoço, tomar remédio para as cólicas menstruais, pensar no que se fará a seguir, não chegar a conclusão alguma, continuar escrevendo...
Ir contornando, vendo a beleza de coisas simples, as pequenas alegrias...
É assim contornar, quando a resposta surgir, virá com ela o obstáculo... Então?
Bem você já contornou o que podia, é hora de transpor...

beijo, beijo, beijo...

quarta-feira, 30 de setembro de 2009

Pode ser contornado

Dizem por ai que podemos ser o que quisermos.
Astronauta, dançarina, jogador de xadrez, surfista ou médica.
Não importa se você mora no campo e não existe mar por perto.
Ou que você desmaie ao ver sangue, pode ser contornado.
Mas isso é claro, depende do quanto você quer.
Eu quero. Ainda não sei como vou conseguir, mas eu vou.
Então o lance é tocar a vida, pensar bem sobre o assunto e quando a verdadeira idéia surgir, mergulhar fundo!
Tudo bem eu não saber nadar...
Uma canetinha colorida e...
Pode ser contornado!

Beijo, beijo, beijo...

domingo, 27 de setembro de 2009

Nada, nada...

-Estás uma fera?
-Nada, nada...
-Fala a verdade, estás brava?
-Nada, nada...
-Cansada? tá sentindo alguma coisa?
-Nada, nada...
-Caracas! Fala alguma coisa! O que você quer?
-Nada, nada...
-Quer que eu vá embora? não ficarás triste se eu não mais voltar?
-Nada, nada...
-Pois saiba que estou indo. Depois vai me querer de volta...
-Nada, nada... Mesmo!

beijo, beijo, beijo...

sábado, 26 de setembro de 2009

Passando as lembranças

Os olhos passam as imagens,
Na mente passam as lembranças.
As fotos trocam de mãos...
Rostos que fizeram parte de uma época,
Uniforme do qual me orgulhei durante tantos anos.
Revirando a caixa de recordações,
Revirando sentimentos, alegrias, histórias...
Se o tempo voltasse e a chance de mudar me apresentasse;
Mais uma vez cheia de respeito, eu estufaria o peito;
Vestiria com orgulho a camisa e com os olhos cheios de alegria:
- Sempre Alerta!

A gente é o que é...

beijo, beijo, beijo...

sexta-feira, 25 de setembro de 2009

O que hoje ouvi

Hoje ouvi de minha boca que o trabaho estava ruim,
Ouvi de algumas amigas que ninguém perceberia,
Ouvi das mesmas amigas que ninguém percebeu de verdade.
Ouvi a música do skank no rádio (eu ando ouvindo rádio ultimamente),
Ouvi de minha irmã que tinha trazido um filme emprestado,
Ouvi da Lú que seu colesterol tinha baixado,
Ouvi Maria Rita e Beyoncé, lembrei das minhas dua maninhas...
Ainda vou ouvir que o tempo tá curto,
Que tá faltando material,
Que está na hora das outras equipes...
Então mais tarde, quando tudo for apenas silêncio,
Vou ouvir a balada suave do meu coração...

bejo, beijo, beijo...

terça-feira, 15 de setembro de 2009

Linha do tempo

Estive olhando os posts passados, a linha do tempo que eles compõe.
Meus dias bons, os dias ruins,
Cada passo dado à frente, um recuo;
Tudo gravado nestas páginas de pequenos sentimentos.
Minha família, meus amigos, as pessoas que eu amo, estão todos aqui.
Acabei de inscrever um de meus poemas do último ano em concurso.
Li tanta coisa, minhas palavras, os comentários feitos sobre elas.
Estou feliz com o resultado, feliz com os amigos que me visitam, feliz com as lembranças que ele me proporciona.
Espero ter tempo de continuar escrevendo, continuar deixando aqui minhas impressões sobre este pequeno mundinho...
Minha linha do tempo particular.

beijo, beijo, beijo...

sexta-feira, 11 de setembro de 2009

Minha Coca-Cola toda

Minha mãe hoje faz "aniversarinho" tão lindinha minha mãezinha!!!
Sei que ela não vai ler isso aqui, ela reamente não tem tempo, o que eu admiro.
Mulher corajosa e guerreira vai em busca do que deseja, ultrapassa obstéculos e vai em frente sempre porque é assim que deve ser.
"um problema de cada vez" ela diz e levanta a cabeça para mais uma batalha, sabendo que depois desta, muitas outras virão.
Minha mãe é mulher maravilha,
É garota fantástica,
Uma linda mulher.
Consegue ser linda e fofinha em seus pijamas e agasalhos, ou fina e elegante em seus terninhos de senhorinha.
Minha mãe é mãe de uma galera e mesmo assim ainda consegue ter um lugar especial em seu peito para seus legítimos rebentos.
Ela fica furiosa, reclama, briga, depois bate um papo porque não se deve dormir sem fazer as pazes.
Ela me ensinou a ser quem sou, e eu vejo nela o que ainda desejo ser (fora ser mãe que isso é impossível eu fazer direito com esta nada disfarçada falta de aptidão que eu possuo).
Pois bem, minha mãe é esta Coca-Cola toda...

heheheheh

beijo, beijo, beijo

quarta-feira, 9 de setembro de 2009

Feliz, feliz!

Hoje estou assim!
Bem e a causa disso é que uma amiga minha.
Gente boa, legal pra caramba e também muito confiável deu mais um paSSo
rumo ao seu futuro que só há de ser brilhante!!!
É, sou assim mesmo, torci pra caramba e quando ela conseguiu fiquei feliz demais!
Eu acredito mesmo que ela mereça, acho que é muito empolgada e inteligente e tive medo por ela. Sempre existe pressão e acabamos, quase sem sentir, colaborando com ela com frases como a que eu mesma disse tantas vezes: "relaxa amiga, você vai conseguir". Meu objetivo era animar, mas me vi sendo mais uma na lista que ela não queria decepcionar. O que importa mesmo?
É que ela conseguiu, e este é apenas um degrau, para alguém que vai brilhar ainda mais!!

Abração amiga,
Parabéns!!

beijo, beijo, beijo...

quarta-feira, 2 de setembro de 2009

Trabalho pra entregar, prova pra estudar, livro que tenho que ler.
Da sacada vejo a rua vazia, os carros passam e ela nada...
Bosta! Merda! Porcaria!
Preciso colocar a energia nos livros.
Se foca Gisa! que bosta!
Tarde feriado qta coisa poderia ter terminado...
Ser responsável é uma merda!
Que se dane!
Não pensa assim, ela logo liga.
Anda de um lado pra outro, mensagem no celular, Fora de área, de novo?
Merda, Bosta, Porcaria.
Senta na cama, alguma mensagem no orkut?
Nada...
A mãe liga, ela não tá!
Bosta!
- Tô preocupada, não, não tenho o número dos amigos dela...
Legal a culpa é toda minha...
Quer saber? Da próxima vez que fique em casa. POnto.
Tô de saco cheio, acho que até chorei.
Que merda!
Odeio ser reponsável.
Chega logo...
Ela liga, está voltando e eu choro.
De alívio, de raiva, sei lá!
Tudo junto, eu tô uma pilha...
Não vou poder olhar em seus olhos, tô bolada, P da cara!
Volto a sacada, mensagem dizendo que tá a caminho.
Meu coração, sei lá, virou pedra, gelatina, areia, água.
Ainda tô P...
qdo chegar, banho e cama, não quero falar sobre isso.

beijo, beijo, beijo...

sexta-feira, 28 de agosto de 2009

Pedaços do que hoje sou...

O tempo passou e nos modificou de uma forma que eu nunca tinha imaginado.
Mas o carinho e a saudade dos dias que passamos juntas, bem isso é algo que não mudará.
Quando a Déia dizia "Ai amiga",
Quando a Jaque imitava a Ofélia,
Quando o Jean nos mandava ficar caladas.
Parece que tudo aconteceu ontem.
Foi ontem que corríamos atrás dos grilos,
Ontem medimos árvores ao fundo a faculdade,
Ontem queimamos as paradinhas na estufa,
Ontem nosso trabalho deu errado,
Ontem almoçamos na AABB,
Ontem pegamos carona na carro lotado,
Ontem salvamos os sapos de dentro da caixa.
Acho que foi ontem também que tomei um gole daquela coisa horrível (cerveja),
Foi ontem que quase levei bomba no TCC.
Foi ontem que tive o carinho gostoso de minhas amigas.
Sobre hoje?
Bem hoje sento com as lembranças, vejo fotos antigas e recordo cada momento
Na esperança de que em um futuro bem próximo eu possa dizer:
-Hoje, vou abraçar minhas grandes amigas.
Saudades de vcs

beijo, beijo, beijo...

quinta-feira, 20 de agosto de 2009

Apenas uma introdução...

Poderia ter sido mais fácil se eu não tivesse visto que ela chorava. Tenho certeza que eu sairia porta afora sem olhar para trás. Mas mesmo tentando ser forte fraquejou por um instante e uma lágrima solitária deslizou em seu rosto cansado.
Voltei a me sentar ao seu lado e a abracei com um carinho que não deveria estar ali. Eu deveria deixá-la sozinha. O combinado era não tornar a vê-la depois daquele dia, eu tinha feito a minha parte, ela estava viva, não havia um único arranhão em seu corpo, nada para ser reclamado, serviço perfeito!
Seria perfeito se eu não tivesse me apaixonado. Seria perfeito se eu nunca tivesse olhado em seus olhos.

terça-feira, 18 de agosto de 2009

Idade

- Então que idade você tem?
- 27, faço 28 ainda este ano.
- Mentira!
- Não verdade.
- Quando me disse sobre o carro...
- Pois é...
- Imaginei que tinha passado dos 18...
- Alguns anos, eu diria.
- Não pode...
- É simples, faça as contas: entrei na faculdade de matemática com 17 e fiquei dois anos. Aos 19 comecei engenharia, 5 anos, me formei com 24. Trabalhei 2 anos em um viveiro, como engenheira 26 quando lancei meu livro. vim para cá e início do ano que vem fará dois anos que estamos aqui: 28.
- Não!
- Pois é...

Ok gente, faço 28. Estou quase nos trinta...
Não precisa me chamar de velha, mas digamos que já tem bastante história no meu caderninho.

beijo, beijo, beijo...

quarta-feira, 5 de agosto de 2009

Pode ser sol, ser luar.
Mas em meu corpo cansado,
Seu olhar calado,
Seguindo-me está.

Meus erros são marcas,
Meus sonhos são planos,
Pelos quais vou lutar.
Se estás ao meu lado,
Meu barco ancorado,
Está pronto a zarpar.

Se me encontro sozinha,
Calada na minha,
Seus olhos me lembram
De continuar.

Vou seguindo em frente,
Cansada ou contente,
Sabendo que junto
Comigo estás.


Poeminha escrito em Paraty, sobre o efeito de mar a saudade...

beijo, beijo, beijo

domingo, 2 de agosto de 2009

Voltei!!!

É isso aí gente, estou de volta das férias e não tenho outra palavra se não felicidade!
Felicidade de ver meus amigos,
De visitar outros lugares,
De experimentar novas emoções,
De estar de volta ao meu canto.

Eu fui à FLIP!!
E não sei se consigo transformar em palavras o que lá vivi...
Cultura, história, pessoas, é tudo muito diferente e ao mesmo tempo próximo.
Escutei poesia dos lábios de quem faz poesia e fiquei maravilhada!
caminhei sobre areia e pedras que tinham histórias diferentes da minha,
Portas que se abriam para a rua,
Senhoras debruçadas na janela,
O que lá vivi não tem preço,
Então, valeu mãe pela grana que a senhora gastou!

beijo, beijo, beijo...

terça-feira, 28 de julho de 2009

FLIP

OK, já passou um bom tempo...
Eu sei.
Mas ainda não cheguei em casa e tô aproveitando as férias...
Sabe como é, amigos para visitar,
1000 coisas por fazer...
Quanto a FLIP?
Adianto que foi muito legal, mas deixo as novidades para quando eu estiver em casa...

beijo, beijo, beijo...

terça-feira, 30 de junho de 2009

Caminhos...

Uma vez com o sol às costas a estrada estendendo-se a sua frente ele encarou a realidade.
Não voltaria atrás, não se deixaria perder.
A opções são sempre infinitas, os caminhos se multiplicam ao seu redor.
Você pode retroceder, pode trocar de caminho, pode tentar não lembrar.
Mas passado, presente e futuro são escritos com a mesma caneta e é a sua mão que irá guiá-la.

beijo, beijo, beijo.

quinta-feira, 25 de junho de 2009

Amor calado?

Nas longas tranças da noite;
Nos braços da estrela guia,
Queria um sopro gelado,
Queria tu mão fria.

As costas nuas na chuva
Cabelos vibrando ao vento
Não mais que um amor calado
Nem menos que um só momento.

Os passos largos e firmes
São tristes os pensamentos
Já não vejo o tempo passado
Já não fujo do meu tormento.

sábado, 20 de junho de 2009

Sou Coração

E cada flor com o seu perfume
Cada nota de uma canção
São só palavras, só tapumes
Para esconder-me o coração.

E cada abraço é só um elo
Um cadeado na escuridão
Uma conquista, um bom caminho
A iluminar minha solidão

E neste jogo de pensamentos
A caneta rápido a escrever
Poderiam ser apenas sonetos
Mas são lamúrias de um triste ser

Um ser errante que chora e pensa
A caminhar, fazer seu caminho.
Um ser errante que chora e pensa
A misturar-se ainda sozinho.

Não sou mais pó nem mais areia
A luz do sol eu também não vejo
Queria ter a palavra, a veia
O meu caminho eu faço, elejo.

E nesta busca de boas respostas
Em meio a toda a minha confusão
Queria ser só uma aposta
Perdia a chance, sou coração.

Apenas um poeminha...

beijo, beijo, beijo...
gi.

terça-feira, 16 de junho de 2009

Mais uma vez: FLIP

Eu estava lendo um post antigo. A primeira vez que manifestei aqui, minha vontade de ir à Flip.
Já naquele primeiro post, demonstrei minha empolgação com a idéia (que só podia ter vindo da Pauli), e minha tia (mais querida do mundo), manifestou também sua vontade de embarcar conosco nesta aventura literária.
Agora as passagens aéreas estão compradas, a vaga em uma pousada garantida, e por pouco não digo que as malas estão prontas, o ingresso para o show de abertura bem guardados com minha supertia... O que eu faria sem ela?
Por hora, o que faço é aguardar (anciosamente) para que o primeiro dia do próximo mês se aproxime e nos leve a esta festa cultural que no mínimo, nos dará boas histórias a serem contadas.

beijo, beijo, beijo
Gi

segunda-feira, 15 de junho de 2009

Chance à vida

eram quase 2h, a madrugada fria gelava os ossos, o vento cortava seu rosto pálido.
Mais alguns passos. Trôpegos, gelados, silenciosos.
Aproximou sua mão fria dos longos cabelos castanhos e com um gesto distraído prendeu-os sobre a orelha.
A bruma da madrugada encobria quase toso o cenário.
Perto do local marcado, sentou-se em um banco gelado tirando espelho e batom da bolsa. Retocou a maquiagem com cuidado. Levantou-se.
Em algum lugar distante uma coruja piou arrepiando sua espinha.
Deu mais alguns passos e ajoelhou-se na grama úmida.
A rosa amarela foi colocada sobre a lápide de mármore escuro. O silêncio marcou o encontro como nos anos anteriores.
Ao se levantar, ela sorriu um pequeno e triste sorriso.
Não haviam se conhecido, mas eram ligados pela vida.
Na lápide a data de falecimento marcava também o aniversário, quando ele deixou sua vida e deu novo horizonte a dela.

DÊ UMA CHANCE À VIDA
SEJA UM DOADOR.

beijo, beijo, beijo.

domingo, 14 de junho de 2009

Ainda...

Ainda penso no sol...
Deito na grama e deixo que seus raios banhem meu rosto,
Abro a janela pela manhã e sorrio como se ainda pudesse tocá-lo.
Minha existência na terra tem sido diferente, reveladora, mas ele está sempre lá.
Seu calor me lembra do que deixei, me faz pensar no que ainda vou viver aqui.
Amo cada dia, adoro cada segundo.
A vida é bela sim, e sobre a felicidade?
Eu sei, ela existe!

beijo, beijo, beijo
Falar sobre o frio?
- Fala sério! Amei passar frio na minha terra!
Sobre os amigos?
- Não vi todos, mas os que vi abracei forte!
Sobre a apresentação de dança do Raio de Sol?
- Amei cada minuto, MIB arrasou!
Sobre meus pais?
- Não tenho palavra, não existe termo, não inventaram uma forma de defini-los.
Amo cada gesto, cada sorriso, cada abraço.
Minha mãe é incomparável, o amor que sinto é indescrítivel.
Meu pai tem sido a cada dia melhor e o relacionamento que hoje estamos tendo é nossa maior conquista.
Vejo a maneira como cuidam um do outro e me orgulho.
Meus pais são apoio e carinho, são firmes e seguros.
Meus pais, acredite, são grandes demais para caber por inteiro neste humilde texto.

beijo, beijo, beijo.

terça-feira, 9 de junho de 2009

Eu P...

Fico P... quando paro para pensar e percebo o quanto estou perdendo meu tempo.
E quer saber? Foi minha escolha.
Eu poderia estar lá, desfrutando de meu emprego e meu salário, dando ouvidos ao que diziam sobre meu livro e curtindo minha pequena fama na cidade onde eu nasci.
Mas desintoxicação não é brinquedo, não dá para esquer a bebida quando todos a sua volta bebem o melhor vinho, e eu vim pra cá.
Se perguntar do que eu falo, vou responder que esqueça. Esta é minha maneira de resolver as coisas: pra baixo do tapete e não incomoda, tem alguém tentando ser feliz aqui.
Quer saber se me arrependo?
De forma alguma, minha vida tem sido boa desde que não me senti mais sozinha e estou fazendo o que gosto, perto de uma das pessoas que mais amo (sinceramente? eu seria pouca coisa sem ela).
Então, fazer o quê se por aqui nem imaginam que eu escrevo, ou tão nem aí pro meu livro?
Uma hora, volto pra casa, e quem sabe esta aventura toda, não de a luz ao best seller que ainda não escrevi?

beijo, beijo, beijo.

quinta-feira, 4 de junho de 2009

Eu dentro de mim...

Dentro de mim tem outro eu escondido;
Meu outro eu não se parece comigo, ela apenas aparece vez ou outra.
Meu outro eu já sofreu por amor enquanto eu mesma sorria de uma piada qualquer.
Meu outro eu chutou o pau da barraca quando viu que eu já estava cansada.
Meu outro eu tem momentos para ler poesia.
Ela escuta música com atenção e consegue fazer com que meus pés parem quietos.
Meu outro eu se esconde dentro de mim, e sorri da minha falta de jeito, da minha eterna meninice meu jeito meio autista de ser.
Meu outro eu se esconde para que eu continue sorrindo, fazendo de conta que seus atos, suas paixões e seu descontrole não me alcançam, que seu sentimentalismo não fazem parte de mim.
Meu outro se engana, ela as vezes engana a mim mesma.
Então apenas pelo hábito de ser eu mesma e não outro eu,
Eu sigo em frente sorrindo, brincando de lego e lendo gibis sempre que posso.
Porque meu outro eu não sabe, mas aqui dentro de mim, dois eus se misturam e fazem de mim apenas Eu.

beijo, beijo, beijo...

segunda-feira, 1 de junho de 2009

Aquele velho sentimento...

Todas as vezes que fechava os olhos,
Todos os sonhos que agora lembrava.
A presença inconsiente e constante,
O sorriso de dentes perfeitamente brancos,
Os olhos negros com um brilho especial.
Não, ele não era belo e ela o sabia.
Divertido, sem chegar a tornar-se engraçado.
Diferente de todos que ela já conhecera.
As sensações eram conhecidas, mesmo ela tendo tentado esquecê-las.
Já não sabia mais sobre os jogos,
Imaginava que não voltaria a jogá-los.
Sabia sobre o final da história,
Só não queria vivê-la novamente.
Olhos,
Sorrisos,
Sentimentos...
Não era a hora de sentir-se assim...

beijo, beijo, beijo.

sábado, 30 de maio de 2009

Preconceito X Falta de Educação

Disputa difícil, e acredito que as duas coisinhas ai de cima estão tão amarradinhas que fica impossível saber qual é a pior.
Ontem foi o dia de presenciá-las e fiquei bastante triste ao perceber que em ambiente universitário (que dizem ser frequentado por pessoas inteligentes), sejam tão gritantes.
O lance do preconceito (aluno para colega), foi de embrulhar o estômago e eu ainda estava sob este efeito quando a falta de educação começou a gritar. Bem no meu ouvido!
Tá legal, a pressão em congressos é grande, entendemos que a senhora esteja atrasada, mas não desconta em mim não valeu? Tava aqui só para ajudar...
Não adianta, acha que ela parou para me ouvir? Que nada, nem tive a chance de começar... Fiquei lá com a maior cara de taxo vendo a mulher entrar como um furacão na sala de aula, depois bater a porta na minha cara e de mais um outro professor que só queria uma informação. Quando voltei a falar com ela, com o sapo ainda pulando na minha garganta (é dose ser bem educado, mas a gente tenta), foi para ouvir de uma maneira bem "sutil" que eu deveria fazer com que as pessoas do corresdor ficassem caladas...
Eu até tentei, mas fazer o quê? São alunos estão ali para aprender, e quer saber de uma coisa? Culpa sua ser tão boa professora, não seriam meus protestos que eliminariam toda a boa educação que eles lhe devem...

Sem beijos hoje valeu? O sapo ainda tá incomodando...

quinta-feira, 28 de maio de 2009

Peter Pan

Acabei de ler agora!!!
Amei cada palavra, devorei cada aventura!!!
Este menino-homem que nunca cresce,
Que esquece do tempo e portanto não o vê passar...
As aventuras de um garoto sem idade que sobrevoa os mares com seu sorriso de dentinhos de leite e seu olhar de menino travesso.
Li cada palavra com o mesmo carinho com que se olha uma criança arteira e cativante.
Que delícia!!!
J.M. Barrie deu vida a mais famosa de todas as histórias, sendo ela atemporal e apaixonante!
Ia deixar estas palavras para um outro momento, mas estou deslumbrada!!!
Nas horas que passei com o livro em mãos voltei a ser criança (o que confesso, não tenho dificuldades em fazer), e me deixei sonhar com a terra do nunca, seus perigos, suas belezas e as maravilhosas aventuras...

Dedal, dedal, dedal...

O Homem da Máscara de Ferro

Quem dera todas as amizades fossem como a do gentil D'artagnan e seus amigos Mosqueteiros...
Alexandre Dumas, um gênio de criatividade incomparável e palavras perfeitamente escritas. A semana que passei em que passei em sua companhia foi uma aventura prazerosa, mas confesso ter me sentido triste inúmeras vezes, em saber os detinos de tão nobres heróis.

"Dos quatro valentes cuja história contamos, só restou um corpo; as almas Deus retomou"

Ainda desejo ler o último episódio desta história tão lindamente elaborada, chegar ao verdadeiro final de uma das mais apaixonantes obras literárias que já tive em mãos.

beijo, beijo, beijo...

terça-feira, 26 de maio de 2009

Saudade

Saudade?
Quem dera fosse apenas palavra;
Que eu surda, não pudesse ouvir...
E também ela poderia ser apenas cantiga;
Que meus lábios vedados não pudessem proferir...
Poderia sim ser apenas um jogo;
O nome de um esporte qualquer...
Tinha mesmo que saudade ser sentimento?
Sentimento de oco, vazio, perdido?
Saudade de quem espera,
Saudade de quem tenta regressar,
Saudade de quem não mais irá voltar...
Saudade é a marca deixada,
Saudade é ferida que o tempo não cura,
Saudade de amigo,
Saudade de amor...
Quem dera saudade não existisse;
Mas como então definir a falta?
A saudade do que já passou?
Não importa o nome...
Se saudade se chamasse alegria...
Ainda assim em meu peito, ela doeria...

beijo, beijo, beijo...
saudade...

domingo, 24 de maio de 2009

texto que não apresentei...

É lógico que não apresentei, estou até agora tentando entender o que exatamente era para ter sido feito...
A verdade é que aprendi que ficar fora da aula de redação (mesmo por alguns minutos), pode não ser um bom negócio.

Redação Publicitária – Texto: Jóia


Eu poderia escrever uma canção, e cantar a ela ao som das notas do meu velho violão. Mas por quanto tempo a letra composta com tanto carinho ficaria guardada em sua mente? A quem mais ela poderia, orgulhosa de meu amor mostrar o que este amor dedicado foi capaz de produzir?
Pondere os prós e contras de cada espécie de demonstrações de carinho já inventadas, pense qual delas ficará sempre com ela e passará de suas mãos às mãos de sua filha, contando assim a história de um amor que não tem barreiras, desafia o tempo e a moda para se tornar imortal.
Imagine. E só assim entenderá o que estou propondo. Pois proponho demonstrar com ouro e pedras o quão eterno é o amor que sinto.

terça-feira, 19 de maio de 2009

Bellinha...

Primeira mensagem de celular recebida da minha afilhadinha.
(Já fazem uns 5 anos).
Dinda você é como o garfield, fofinha, gulosa e preguiçosa.
Ok, Bellinha, admito, fui desvendada!!!
beijo, beijo, beijo...

quinta-feira, 14 de maio de 2009

Minha mãe

Eu relutei, protelei e esperei.
Queria estar ao seu lado para lhe falar, estou com saudade.
Me perguntei no que teria me tornado sem seu apoio, sem os abraços mais deliciosos, sem a mulher pequena de pés alados.
Minha mãe tem o dom especial de fazer com que todos estejam felizes a sua volta, se ela assim se sente.
Não a vejo caminhar, por que flutua, e seu sorriso é o mais doce entre todos que já conheci.
Minha mãe é a leoa feroz, é o anjo apaziguador.
Pode ser dela a mão que dá as palmadas, mas será dela também que surgirá o conforto.
Nem tão doce que se torne enjoada, nem tão...
Minha mãe não é extremo, é equilíbrio.
Eu a amo em todos os seus momentos, amo quando está alegre, triste, ou cansada.
Amo se está brava, furiosa ou apenas desanimada.
As faces dela a fazem real, seu abraço a torna minha.
Ela é assim, minha mãe.
Um espelho onde quero me encontrar,
Um conselho que devo escutar,
A luz que me mostra o caminho certo.

Te amo.

beijo, beijo, beijo
Feliz dia das mães...

terça-feira, 12 de maio de 2009

FLIP... 3 Razões para não perder:

1. Manuel Bandeira:
Caracas! Acho que nunca teria começado a escrever se não fosse este cara!
Lembro das noites em que matava aulas na faculdade (Matemática na FAFI), e só ficava lá, na praça ou na biblioteca, seu livro nas mãos, lendo. Li tanto e tanto gostei, que comecei a escrever também... Poesias...

“A Estrela”

Vi uma estrela tão alta,
Vi uma estrela tão fria!
Vi uma estrela luzindo
Na minha vida vazia.

Era uma estrela tão alta!
Era uma estrela tão fria !
Era uma estrela sozinha
Luzindo no fim do dia.

Por que da sua distância
Para a minha companhia
Não baixava aquela estrela?
Por que tão alta luzia?

E ouvi-a na sombra funda
Responder que assim fazia
Para dar uma esperança
Mais triste ao fim do meu dia

Poema dele, meu preferido daquela época...

2. Sou escritora! Quero dizer, é o que dizem por ai, é entre tantas outras coisas o que eu gosto de ser... Então falando sério, só espero um dia conseguir alcançar o outro lado da mesa...

3. Não vou sozinha. E as pessoas que vão comigo são hipermegapowerlegais!

Férias, boa companhia, festa e livros... Será o paraíso!

sábado, 9 de maio de 2009

A primeira impressão... Só dura até que se prove ao contrário.

Estávamos nós fazendo um lanchinho, em um lugar legal de Blumenau quando o assunto (que uma hora acaba rolando entre amigos) veio a baila:
- Caracas! A primeira vez que vi a Lore, jurei que ela fosse pra lá de séria!
- Quem eu?
- É. Tu ficou falando lá toda segura de si, eu olhei e pensei comigo: "Cara esta menina deve manjar mesmo do assunto".
E foi mesmo, achei que a Lore era séria demais e depois de conhecê-la, acabei por decobrir que é uma louquinha muito divertida.
E a verdade é que isso geralmente acontece, nem sempre o que vemos pela primeira vez é a essência, porque essência é foda e não se vê ao primeiro olhar.
Foi assim com minha amiga Déia, foi assim quando a Mariléia me conheceu:
- Gi, jurava que você era a maior patricinha (dá para acreditar?) com aquela história de fazer Engenharia Florestal, só fiquei pensando o que diabos você esperava encontrar no curso de teatro.
E a vida é assim mesmo, e as vezes nem lembramos se a pessoa estava lá no primeiro dia, parece que sempre esteve ao nosso lado, ponto.
Com a Jaque (parabéns amiga pelo dia das mães), não sei bem ao certo, nos falamos no primeiro dia, mas não cheguei a formular uma teoria sobre ela, voltei de carona para casa, a mesma carona que pegaria todos os dias durante os cinco anos de curso. No siena móvel ou no cliozinho, eu desabafava e ela (muito pacientemente) escutava e aconselhava. Não teria como dizer no primeiro dia, o quanto sua amizade seria importante, o quanto as conversas fazem falta agora.
Poderia falar de todos os meus amigos, o Bruno que conheci quando era um bebê e se tornou meu maninho, as meninas melhores amigas da minha irmã que defendi com unhas e dentes e vi tornarem-se minhas amigas especiais também, a Andy que não sei explicar quando deixou de ser colega para ser mais uma amiga de quem sentiria saudades, ou até mesmo aquele jovem amigo e leal por quem me apaixonei errôneamente.
Mas não foi para isso que voltei a escrever ainda hoje, estou aqui por estar devendo uma resposta e tenho certeza que ela lerá:
- Eu tive certeza, ainda nos primeiros dias de aula, que ali havia uma garota digna de ser conhecida. Não sei se foi pela inteligência (que admiro pra caramba), ou pela aparência de liderança entre as outras meninas. Bem quem sabe você não acredite, parece meio puxa-saquismo da minha parte, mas não tenho este hábito! A verdade é que ao conversarmos, e a medida que fui te conhecendo melhor, percebi que havia cometido um equívoco, não és apenas líder, nem apenas inteligente, mas uma garota legal pra caramba, uma amiga leal que não tem vergonha de falar o que sente, nem medo do que as outras pessoas pensam. E isso, creiam vocês, não tem como provar o contrário!

beijo, beijo, beijo
Em especial a todos os amigos que moram em meu peito, e aqueles que já deram um tempo por aqui.

Elas...

Elas não sabem o quanto são importantes,
As vezes eu até tento dizer, mas não consigo...
Não existe como exprimir sentimentos em palavras.
Não sentimos de forma igual, não entendemos da mesma maneira.
Essas pessoas que tornam seu dia digno de ser relembrado,
Que fazem de dias simples, momentos memoráveis.
Eu não sei o que será de mim daqui a alguns anos, mas espero sinceramente não perder estas pessoas de vista.
Quando resolvi vir pra cá não fazia idéia do que me esperava...
Não nego que tive medo, apenas deixo isso guardado,
Não digo que tenho certeza, mas quero acreditar nisso.
Se não der certo, se não for este o meu caminho, levarei meu coração cheio de saudade, minha mente repleta de lembranças...
O dia de hoje já está guardado.

beijo, beijo, beijo...

quinta-feira, 7 de maio de 2009

No fim: Juntos...

Se lhe tivesse dito que tudo daria certo, estaria mentindo.
Mas sob fogo cerrado enquanto buscava a saída, não conseguia pensar em mais nada.
Queria acreditar nisso, queria não ter razão pelo menos naquele momento.
Em suas mãos o sangue derramado fluia, a vida fugia vagarosamente.
Se houvesse um meio de tirá-la dali, se houvesse apenas uma chance de seguirem o mesmo caminho...
A sombra do inimigo agigantou-se a sua frente, e ele teve certeza: Por mais que desejasse, por mais que lutasse contra, haviam chegado ao fim.
Não haveriam mais sorrisos soltos,
O sol não brilharia em seus olhos,
A vida não correria em suas veias.
Percebendo que nunca mais teria um beijo de seus lábios, que não seria mais feliz em seus braços, deixou-se vencer.
De olhos fechados para guardar imagens de outros tempos,
De cabeça erguida, pois não tinha do que envergonhar-se,
Havia lutado com todas as forças, tentado de todas as maneiras...
Em seu pensamento a imagem dela lhe sorria, em seus braços dava o último suspiro.
Um lágrima escorregou em sua face,
O tiro ecoou,
Os corpos tombaram.
Não importava mais tudo que haviam vivido, a história tinha terminado.
Enfim juntos.

beijo, beijo, beijo...

Gota de lágrima

Na face, a dor, a saudade...
A gota de lágrima deixa os olhos lentamente, segue o curso de quem conhece o caminho.
Toca cantos de lábios já tocados por outros lábios,
Beija suavemente com seu sabor salgado,
Deixa seu rastro marcado...
Pinga docemente a jaqueta já úmida,
Junta-se a outras gotas já derramadas...


Eu dando vazão a poesia guardada, ao pensar em gota d'água, gota de lágrima...
beijo, beijo, beijo

terça-feira, 5 de maio de 2009

Febre

Me assustei quando vi seu rosto corado.
Minha maninha, "pequena" como costumo chamá-la, mesmo sabendo que já não é mais assim...
Ao tocar sua mãozinha de dedos finos, senti que meu coração se apertava, ardia em sua febre.
Com o sentimento de impotência que minha mãe tantas vezes me explicou fiquei acordada ao seu lado, administrando os remédios averiguando a febre de minuto em minuto.
Hoje pela manhã ela estava melhor e pouco se lembrava do que passou antes, enquanto eu tentava recuperar as horas de sono perdido esquecer a preocupação e dormir...
Ainda estou tentando...

beijo, beijo, beijo...

domingo, 3 de maio de 2009

Reflexo

Olhei duas vezes para ter certeza.
O estranho ser me encarou nas duas baixando o olhar na medida em que eu baixava o meu.
Parecia cansada e demorei a reconhcê-la.
Meu reflexo mostrava-me exatamente como eu estava:
Cansada, mas os lábios tortos ainda podiam esboçar um discreto sorriso...

24-04-2009, as coisas não mudaram tanto assim.

beijo, beijo, beijo...

quarta-feira, 29 de abril de 2009

Tenho

Tenho pensado muito ultimamente, agindo quase nada.
Penso em escrever no blog. Bons textos que se perdem em minha cabeça enquanto caminho até o mercado ou volto da faculdade.
Tenho um bom livro que não consigo terminar de ler, e alguns títulos que tenho curiosidade em saber como são, mas fico na boa inteção, estou protelando.
Tenho vontade de estudar mais, mas me pego pensando que isso me tira o tempo de coisas que eu realmente gosto como desenhar (mesmo que nada bem), ler e escrever.
Tenho perdido meu tempo com internet, como uma nau a deriva, sem esperanças de chegar a algum lugar.
Tenho andado cansada, sem saber a verdadeira causa disso,
Tenho sentido falta de alguém que se foi e não vai voltar,
Tenho me preocupado com a idade, mesmo sabendo que não me diz nada e que nada muda se eu não estiver com vontade.
Tenho feito amizades realmente MARAVILHOSAS!
É, tenho uma boa vida, ficando uma vida boa...

beijo, beijo, beijo...
em especial para a Pauli.

sábado, 25 de abril de 2009

Destino?

Eu me repito ao falar de amizade, dou voltas e retorno ao mesmo lugar.
Mas apenas acho que estes seres são anjos, mandados por Ele para olhar por nós.
Não, eu não sou uma pessoa religiosa, mas tenho que concordar, estas pessoas me fazem crer que uma força muito maior existe, e olha pela nossa felicidade.
Texto confuso o que escrevo, mas é assim também o sentimento.
Ou acreditas mesmo que seja capaz de explicar algo tão forte quanto uma amizade?
Achei que já tinha todos os amigos de que precisava, que tinha deixado em minha terra as pessoas mais preciosas da minha vida. Estava enganda.
Ainda tinha muito o que conhecer, pessoas que fariam parte da minha vida, que mudariam meu jeito de ver o mundo, completariam meus dias.
Agradeço ao destino, não que eu realmente acredite nele, mas valeu, obrigada pelas pessoas especiais que tem colocado em minha vida.

beijo, beijo, beijo...

quinta-feira, 23 de abril de 2009

Diretamente do túnel do tempo...

Quando

Quando eu disser oi
E você responder tchau,
Irei embora para respeitar sua opinião.

Quando eu disser noite
E você responder tarde,
Estarei esperando enquanto houver sol a pino.

Quando eu desejar falar
E você não quiser ouvir,
Me calarei para contemplar o seu silêncio.

Mas quando depois de tudo
Você me disser olá,
Eu lhe direi adeus...

Submissão nunca foi da minha natureza...

beijo, beijo, beijo...

quarta-feira, 22 de abril de 2009

Horizonte imaginário

Queriam olhar em direções opostas, mas pegavam-se sempre da mesma maneira.
O horizonte parecia hipnotizá-los, mas não queriam assim.
Ele queria olhar os olhos, ver sua face refletina no castanho escuro, afundar-se naquela escuridão.
Ela queria acompanhar o movimento leve de palebras baixando, sentir o hálito quente perto de sua boca.
Olhavam na mesma direção e sendo assim não poderiam tocar os lábios com suavidade nem se deixar levar pelo sentimento...
Sem forças para ação contentavam-se com o imaginário, ele sentia o sabor do beijo, ela o afogava em seus olhos.
Sobre o toque?
Apenas mãos tensas, presas por um sentimento silencioso.

beijo, beijo, beijo...

segunda-feira, 20 de abril de 2009

Raio de Sol...

Lugar que me viu crescer,
Foi minha casa, meu trabalho, parte importante da minha vida...
Hoje estou aqui, amanhã será saudade, mas a esperança de voltar está sempre comigo...

Beijo, beijo, beijo...

quarta-feira, 15 de abril de 2009

É ele!!!

Apresento-lhes, meu fusquinha!!
Ele não é perfeito, seus defeitos até são bem visíveis:
Ferrugem em alguns lugares, banco gasto e um arranhão no paralama, marca do início de nossa relação.
Mas é como coração de mãe, leva todos os meus amigos e é o queridinho da galera.
Foi sensação na sexta-feira santa e fizemos muitas fotos com ele.
Quando ando com ele pela nossa cidade, penso que meu avô e meu pai já passaram pelas mesmas ruas, sentados no mesmo banco gasto e divido meu momento com eles.
Bem meu fusca não é um carro perfeito, mas eu também tenho os meus defeitos.

beijo, beijo, beijo...

Saudades de você!

quinta-feira, 9 de abril de 2009

Minha amiga...

Eu sei, já é a segunda vez que passo por aqui hoje, mas não consegui evitar.
A Jaque (grande amiga, que me faz muita falta desde que resolvi me aventurar), esteve aqui e depois de tanto tempo sem conversar direito (não posso considerar MSN conversa, já que existe tempo demais entre as falas e vc não pode ver a pessoa do outro lado), sentamos e batemos um papo enquanto o Leonardo brincava com seu presente de aniversário muito atrasado.
Não posso negar, nós estamos diferentes. A Jaque agora é mãe, tem um garotinho lindo que fala Ziza, não e fiuzinho e eu voltei a faculdade como se ainda tivesse 18 anos. Não nos arrependemos. Mudamos nossas vidas, enfrentamos estas mudanças e quando penso nas escolhas sei que o que mais fere é a distância. Não dá para ser 100% feliz sem saber se os seus também se sentem assim.
Minha amiga parece uma ótima mãe, ela conversa com seu filho e lhe dá atenção quando ele pede, não levanta a voz e como todas as mães insiste para que ele fale, conte alguma coisa em seu vocabulário que não posso descrever com outra palavra que não seja "fofo".
Observo a interação entre os dois, a maneira como ele olha e fala com ela, a paciência que ela tem em lhe explicar as coisas. No tempo da faculdade eu não diria isso, mas hoje vi em minha amiga uma garota que nasceu para ser mãe. Fiquei feliz por ela.
O tempo passou voando, quando percebemos já era tarde demais o Leonardo estava cansado e era a hora de nos despedirmos.
Conversamos tanto! Com ela eu tenho a liberdade de falar com franqueza, sei que não vai se chatear, sei que não vai me chatear.
Nós mudamos muito, minha amiga está vivenciando uma experiência nova, e eu também, mas de forma diferente...

beijo, beijo, beijo...

Em casa...

Ok, depois de uma viagem ainda mais longa que o normal chegamos à Canoinhas.
Papys e Mamys aguardando na rodoviária, abraços cheios de saudade então...
Meu fusquinha!!!
O mesmo que a um ano eu não dirigia, bem ele estava lá.
Amarelinho, sorrindo enquanto esperava por nós.
Entramos alegremente, respirando fundo olhando ao redor como se fosse a primeira vez...
Que saudade!!!
Meu pai nos trouxe até em casa. Coisas a serem contadas, histórias dos dois meses que passamos fora. Parece pouco, mas se falar na saudade... A quantidade de mudanças em casa e na escola...
Hoje, palestra pela manhã (eu realmente gosto disso), falar do meu livro, o filhinho que só tem me dado alegria, conversar com uma galerinha empolgada, que quer saber mais.
- Onde você buscou inspiração?
- Tem alguma coisa no livro que realmente existe?
- Está escrevendo a continuação?
E eu? Bem eu falo, porque fora escrever, esta é outra coisa que gosto...
Dirigi meu carrinho diminuto de volta para casa, minha mana é o copiloto e me sinto como a muito não me sentia... Nasci para aquele carrinho, ele foi feito para mim.
Abro a internet, leio mensagens das minha amigas que ficaram em Bumenau, ô saudade!
Parece mesmo que vou ter que aprender a viver com isso...

beijo, beijo, beijo...


Ps.: Logo, logo, coloco uma fotinho dele para vocês.

terça-feira, 7 de abril de 2009

Polaroid

A idéia parecia perfeita a primeira vista.
Imagens se perdem pelo chão sem sentido...
Quem sabe seja apenas isso, imagens dispersas, clics sem efeito...
Uma máquina que já não se usa mais.
Quem sabe não fosse a idéia, mas a imagem.
Saída de um filme antigo, operada de forma quase sensual por mãos decididas...
Quem sabe?
As imagens continuam a cair...
Uma a uma, empilhan-se ao lado formando uma delidada pilha de fotos,
Imagens que se apagarão com o tempo.
E eu?
Apenas aguardo que continuem a cair,
A se apagar...

beijo, beijo, beijo..

quinta-feira, 2 de abril de 2009

Coceirinha

Coceirinha na ponta dos dedos,
Pensamento mais rápido que a compreensão,
As idéias fogem antes que eu possa agarrá-las...
No peito o sentimento estranho,
Nos olhos um sentimentalismo inexplicável.
Vontade de correr, gritar, rir alto, ver o mundo ao vivo, nas cores em que foi pintado.
De deitar e sonhar com o que está distante.
Ir ao teatro, ler um livro, ver um filme...
Tirar uma foto tão inusitada quanto o sentimento...
Poder dormir, sonhar, acordar e chorar baixinho.
Ter todas as coisas, ter coisa alguma,
Todos ao meu lado ou solidão profunda...
Vontade de ouvir o poema na voz agradável com interpretação perfeita de quem cresceu me vendo escrever e se apaixonou por poesia, quando eu dela me alimentava.

beijo, beijo, beijo...

quarta-feira, 1 de abril de 2009

A boca

Se os olhos são as portas da alma, seria a boca caminho para a paixão?
Os lábios que se abrem ao desejo, que proferem palavras de amor...
A língua que se enlaça em ritmado movimento, que se delicia com o sabor da vida...
O beijo, que dá forma ao que as palavras não tem o poder de explicar.

beijo, beijo, beijo...

terça-feira, 31 de março de 2009

Na estrada...

Ok, ok, ok...
Aviso aos navegantes: -Eu estou trabalhando!!!!
Fazia tempo que me desviava do assunto, lia outros livros, escrevia outra histórias...
Queria prolongar ao máximo a decisão, adiar o fim...
Mas não tem mais jeito o trabalho deve ser terminado e voltei a me ocupar dele.
Flávia, Pedro, Aninha e outros amigos estão novamente na estrada, a aventura continua e espero terminar em breve de escrever este que tem o título provisório de: "Descobrindo Aríete - A Herdeira da Máfia".
Para mim agora a escrita, para vocês a espera...

Que nossos esforços sejam recompansados!!!

beijo, beijo, beijo...

quinta-feira, 26 de março de 2009

Dando voltas...

Estou dando voltas para escrever sobre o que andei pensando...
Queria estar perto das pessoas queridas, as vezes a distância me cansa...
Saudades da Jaque que já fazem meses que não vejo. Seu olhar vivo, suas maneiras alegres, seu jeito de me fazer ficar sem graça.
A Andy, minha amiguinha querida que eu queria estar perto, poder abraçar forte e dizer que conte comigo, que vai ficar tudo bem, que é assim que as coisas terminam: Bem!
Eu não sei bem o que diria a Déia, na maioria das vezes me sinto tão bem em sua presença que faço piada de minha própria sorte e me pego rindo, porque ela faz com que me sinta leve...
Outro abraço seria dado ao Bruno, meu irmão de coração, carinha que tenho em elevada conta e que estando aqui, tão distante faz mais falta do que pode imaginar.
Tiraria fotos com a Polly, e jogaria conversa fora em frente a sua casa, uma cena que repetimos inúmeras vezes durante todo o verão. No final me despedir da galera seria difícil e triste, mas os momentos passados já estariam tatuados juntamente com os outros que já vivemos.
Se pudesse ver a Moniquinha, minha maninha torta, diria a ela que estou com saudades demais e que não é justo deixar uma irmã sem notícias por tanto tempo, a gente ainda espera pela visita dela aqui em casa...
Daria um grande abraço na Eli (simplesmente porque adoro o abraço dela), e diria a Kah que não, nós não vamos jogar futebol...
Na casa do Charles veríamos um filme (provavelmente comédia), e depois comeríamos o melhor kibe cru que já experimentei, riríamos como loucos, tirando onda com o Thi, que é uma graça, e conversando com a tia Denise que faz com que todos nós nos sintamos em casa...
Queria ver a tia Mona (pensei muito nela hoje), e contar as novidades dando detalhes de cada passo, vendo seu sorriso alegre, seu jeito animado.
Neste post, nem vou falar sobre meus pais... Saudade.
É, eu dei voltas, pinceladas fracas sobre as saudades que estão me incomodando, martelando forte, causando dores que antes eu não conhecia...
Meus amigos, se soubessem o quanto são importantes... Meu coração transborda de amor e saudade.

beijo, beijo, beijo

domingo, 22 de março de 2009

Sobre aquela personagem...

Estava pensando na Flávia.
É pode parecer estranho, criadora pensando em criatura...
Mas de verdade estive pensando nas coisas pelas quais passou, pelo que ainda vai passar...
Tenho abandonado minha personagem por uns tempos, refletindo sobre seus caminhos, pensando no que vai acontecer.
A verdade é que tenho uma idéia pensada, uma maneira de chegar ao fim...
Quem sabe tenha me agarrado a esta personagem mais que aos outros, e esteja adiando minha despedida... Não sei.
Queria muito terminar...
Bem está decidido! Amanhã nos encontraremos novamente e vou começar a preparar nossa despedida.
Para quem espera pelo fim, me desculpem tenho sido egoísta demais...

beijo, beijo, beijo...

sábado, 21 de março de 2009

Voltei.

Acabo de observar as reticências e como as uso com tanta frequência.
O objetivo de que o fim não esteja ali como um ponto final.
Que exista sempre a reticência, a promessa de algo que ainda está para acontecer...
Que os três pontinhos como simbolo de que existe uma chance de mudar, que tem coisas que não precisam ser ditas, mas estão ali, escondidas entre as linhas escritas em tintas que não podemos ver...
Elas estão ali.
A promessa,
O carinho,
O mistério...

beijo, beijo, beijo...

Desculpas...

Ontem escrevi algo para aqui colocar, mas não sei... Bateu a dúvida, o medo de dividir...
É isso, minha vida não é um livro aberto e existem certas lembranças que não desejo tornar públicas. Me falta coragem...
Foi por isso que desisti do livro de poesias, este foi o motivo para escrever um romance...
Peço desculpas aos que decepciono, mas simplemente não posso.
Deixei guardado em um canto na minha caixa-forte, quem sabem em outro momento possa compartilhar com vocês...

beijo, beijo, beijo...

quinta-feira, 19 de março de 2009

Ritmistas

Quem sabe quantos dias chorou ao luar;
Quantos anos chutou seus próprios pensamentos,
Despertou ao anoitecer,

A noite que acalanta o coração do poeta,
Que dá abrigo aos que não tem aonde ir.
A noite que é testemunha dos amantes,
Que ama aqueles que não tem com quem estar.
A noite que sorri com os aniversariantes,
Que faz companhia aos que não tem o que festejar.

A noite,
O sonho,
O acalanto,
O poeta...
Ritmistas em uma mesma canção.

terça-feira, 17 de março de 2009

Eu Viajo...

Eu viajo...
Caminho por lugares que não conheci.
Passeio por terras que pretendo ver.
Sou plenamente realizada,
Fatalmente triste,
Eu viajo.
E sigo caminhos diferentes,
Mudo atitudes, retiro o que disse...
Me arrependo, volto a trás novamente.
Sou forte demais, as vezes muito fraca.
Eu choro, eu rio, eu imploro!
Peço por mim, por minha imaginação fértil, por meus passos, meu futuro...
Se caio?
Me ajoelho.
E ajoelhada?
Levanto!
Minha mente flutua, meus pés fogem do solo.
Eu fujo do tempo,
Passeio pela vida.
Já não sou jovem...
Velha?
Tampouco...
Eu quero devorar o mundo,
Tenho medo do futuro,
Desafio o presente,
Rememoro o passado...
Me encanto com belas palavras,
Separo o lixo de casa,
Gosto de acampar, jogar bola e brincar de lego.
Escuto de The Monkees, engenheiros, titãs, kid abelha, Marisa Monte, Rita Lee, Zeca baleiro, Lulu Santos e outros que não lembro agora.
Me incomoda a falta de educação,
Meu Deus! me incomoda muito a falta de educação!
Caramba!!!!
Não disse que eu viajo?
Viajei!

domingo, 15 de março de 2009

Só saudades...


beijo, beijo, beijo...

Terceira parte....

- Estou pensando em vender o apartamento, e mudar pra uma cidade menor... (ela disse enquanto recolhia a louça suja, já tínhamos dispensado os empregados). Mas acho que podemos esperar os resultados das suas provas...
- Provas? (perguntei perdida).
- É o resultado do vestibular...
- Não acredito! Esqueci do vestibular!
- Cléo, você não prestou vestibular? (minha mãe parecia confusa).
- Eu esqueci... (me sentia meio abobada). Com toda esta confusão, não me lembrei das provas...
Concordamos depois de conversar um pouco que não havia o que fazer a respeito disso, e juntas resolvemos que seria mesmo bom, ter um tempinho para refrescar a cabeça, afinal eu ainda não tinha uma idéia clara sobre o curso certo então o melhor mesmo era não esquentar a cabeça.
Levou um certo tempo para conseguirmos vender o apartamento, mas a verdadeira dificuldade não foi encontrar um comprador, e sim acertar com ele a venda. Porque meu pai teimava em que o valor pedido não era justo, e que devíamos aliviar um pouco, em nome dos bons tempos que havíamos vivido ali. Isso só fez com que minha mãe ficasse ainda mais irada, e nem em nome da nova vida que levaríamos longe de todos os escândalos ela topou arredar pé.
Acabamos fechando o negócio dois meses depois sem nenhuma redução do valor, e com meu pai levando de brinde uma bofetada na cara, quando sorriu corajosamente enquanto falava o quanto àquele imóvel representava para ele.
- Sei que a felicidade reservada para mim por aqui ainda não se esgotou, é uma pena que você não queira mais fazer parte dela... (falou lançando a minha mãe o olhar típico de um cafajeste, o que fez com que eu não me assustasse nem um pouco quando os cinco dedos finos dela ficaram marcados em vermelho na cara dele).
- Se eu ficasse, teria o maior prazer em transformá-la em um inferno... (pensei tê-la ouvido dizer quando entravamos no carro).

sexta-feira, 13 de março de 2009

Eu cá sonhando...

Ok, ok, ok, quem sabe eu não deveria ficar assim tão animada, as possibilidades são pequenas...
Mas sei lá, a maneira como a idéia me foi apresentada, me deixou animada demais, para manter meus pés no chão...
Fazer o quê, foi voando que cheguei até aqui!!!!!

Festa internacional Literária de Parati, acho que é isso... (Não, não pensei que farei parte da lista de autores, ainda não cheguei a este ponto. Ir como mera expectadora já seria muito bom).

Bem vamos a luta, quem sabe rola e se não der, não será a primeira vez.
Levanta garota e segue! Existe um mundo inteiro a ser conquistado... (Mesmo eu ainda não tento um descolado Jipe amarelo).

beijo, beijo, beijo...

terça-feira, 10 de março de 2009

Amizade...

Amizade é um troço estranho...

Algumas nascem com o tempo, outras não precisam dele para se apresentar.

Algumas são só para bons momentos, outras transformam todos os momentos em bons.

Amigos inseparáveis, amigos inesquecíveis...

Amizades que nascem em um dia de trabalho, outras que se formam em um sorriso...

Amizades que nascem antes do feto (hehehehe conheço uma amizade assim).

Amigo irmão, amigo pai, amigas insubstituíveis...

Amigos...

Se você vive sem eles, me desculpe, mas você não sabe o que é viver...

hehehehehehe...

Então plante um pomar! (desculpe se não entendeu o trocadilho, piada interna).

beijo, beijo, beijo...

domingo, 8 de março de 2009

Dia da mulher...

É isso aí, um dia para representar todos os outros.
Um dia para mostrar a gente o que não fizeram em outros trezentos e tantos...
Engraçado hoje todos (os que lembram pelo menos) são só sorrisos, carinho e abraços, amanhã tudo volta ao normal...
Seremos as mesmas continuaremos a criticar umas as outras, e procurar defeitos (principalmente em corpos perfeitos).
Nossos corações ainda serão grandes e ainda teremos o mesmo jeito meigo... Vamos continuar menstruando e ainda seremos nós que daremos a luz a novos rebentos.
Nós não mudamos por conta de um dia, o mundo também não...
E quer saber? Pode não estar tudo perfeito, mas está bom. Se continuarmos no ritmo, se lutarmos juntas, se nos apoiarmos... Quem sabe um dia, teremos um mundo realmente melhor!

Beijo, beijo, beijo...

sábado, 7 de março de 2009

segunda página...

- Mãe pelo amor de Deus, ele estava aos beijos com aquela garota! (não tive coragem de pronunciar o nome dela). Foram fotografados, como a senhora ainda pode pensar em escutar o que ele tenha pra dizer?
- Filha, acho que você não está entendendo, eu não vou escutar, seja qual for a desculpa que ele tenha, mas também não vou fugir do problema, como se ele não fosse meu. Eu fui traída, e pra isso não tem desculpa, mas nós dois temos uma filha, e é pro seu bem que precisamos nos manter civilizados.
- Ele não estava fazendo nada de civilizado na noite anterior... (respondi irritada).
- Cléo, eu não vou perdoá-lo, e não voltaria a vê-lo se não acreditasse ser covardia fugir... (ela me disse com firmeza sem perder a calma).
Meus sentimentos mudaram de repente. Percebi o quanto ela era corajosa, ia enfrentar o problema como havia feito em toda a sua vida. Da mesma forma que tinha agido quando se apaixonou pelo bonitão da cidade que não tinha onde cair morto, e teve que enfrentar meus avós para ficar com ele, ou quando engravidou e teve que começar a trabalhar na Blues (uma loja na qual até aquele momento só tinha entrado para fazer compras com minha avó), para ajudar o marido nas despesas da casa, da mesma forma que tinha deixado seu emprego para acompanha-lo na sua nova vida de político, o senador mais votado com 78% da aceitação feminina.
Mas eu estava enganada, não quanto a força da minha mãe, mas na parte do “nada pior poderia acorrer”, por que realmente aconteceu. E eu não estou falando do mar de repórteres que vinham ao meu encontro querendo saber se eu ainda confiava no senador Luiz Renato, para ser representante do povo, isso na verdade nem me incomodava tanto, até mesmo o fato de todos ficarem me olhando sem nem ao menos ter a boa educação de me cumprimentar não, isso não me incomodava tanto. Mas a pior coisa que aconteceu, foi que com tantas coisas importantes com que me preocupar, acabei esquecendo de fazer as inscrições para os vestibulares que eu planejava prestar e só tomei consciência disso quando tomava café da manhã com minha mãe e conversávamos sobre o futuro.

É isso aí segunda página...

beijo, beijo, beijo...

quinta-feira, 5 de março de 2009

Anúncio para classificados:

Procuro:
Emprego bem remunerado, em local descontraído, com no máximo duas horas de trabalho em recinto totalmente climatizado (entenda-se aqui: com ar-condicionado). Onde pessoas sociáveis e cultas desenvolvam suas atividades sem disputas infundadas e puxadas de tapetes.
É preciso que tenha uma boa cozinha e imprescíndivel ótimos cozinheiros.
Quem tiver notícias ligar para: ****-****.



Texto pronto, agora é esperar para ver...
Próxima quinta-feira.

beijo, beijo, beijo...

só o começo...

A filha do senador? Sei lá penso nisso mais tarde e aceito sugestões:

Acho que acreditei que depois de tudo que havia me acontecido, mais nada poderia vir a ocorrer. Afinal, o que poderia ser mais estranho do que meu pai largar minha mãe depois de dezenove anos de casamento, para unir-se com uma garota que poderia ser minha irmã, uma garota que pelo menos durante os últimos quinze anos tinha sido minha melhor amiga.
O romance dos dois saiu em todos os jornais, e infelizmente foi assim que tanto eu como minha mãe, descobrimos a traição.
Estávamos as duas fazendo nossos cabelos em um badalado salão que freqüentávamos em Brasília desde que meu pai resolveu se tornar político para como ele dizia: “melhorar a vida do povo, e junto com isso melhorar o nosso estilo de vida”. Quando a Soraia (cabeleireira e confidente da grande maioria das esposas e filhas dos figurões do senado) estendeu meio “sem querer” o jornal aberto na página da foto constrangedora (se não para ele, mas para nós duas), em que meu pai e minha melhor amiga Elaine, se agarravam em uma boate.
Não era a matéria de capa, mas mesmo assim a foto em preto e branco ocupava meia página.
O almoço fez voltas no meu estômago e pensei que ia vomitar, mas minha mãe manteve-se séria, como se nada realmente importante tivesse acontecido. Esperou que nossos cabelos estivessem prontos, pagou deixando uma boa gorjeta, e só falou sobre o assunto quando já estávamos sozinhas no carro.
- Eu vou conversar com seu pai...
Pareceu-me derrotada, e senti novamente meu almoço dar voltas, como ela podia pensar em falar com ele? Ia acreditar nas mentiras que ele lhe contaria? Não pude segurar minha língua:


bem gente, só a primeira página...

beijo, beijo, beijo...

quarta-feira, 4 de março de 2009

Hoje...

Felicidade é assim, quando chega não pede passagem...
E no dia em que me sentia marivilhosamente feliz fui contemplada com a presença da minha amiga (mesmo que só em palavras).
Muitas coisas a serem contadas, as letras formando palavras na tela.
Minha companheira de msn com quem eu não falava a um tempo...

saudadona amiga...

beijo, beijo, beijo...

terça-feira, 3 de março de 2009

Não...

Não tinha com pedir,
então implorou.
Não tinha como acertar,
então errou.
Não podia mais agüentar,
então desabou.
Não tinha a quem contar,
então não contou.
Não podia mais passar,
então ficou.
Não queria mais usar,
então abandonou.
Não devia mais chorar,
então lamentou.
E como não tinha, não podia, não queria e não devia;
Não fez não viu, não sentiu...
Não viveu!

E eu?
Bem, eu ainda estou na busca...
Experimentando a vida!

beijo, beijo, beijo!

domingo, 1 de março de 2009

Final de semana... Escritores da liberdade... A insustentável leveza...

É isso o final chegou ao fim e amanhã é um novo começo...
Mais um filme que tocou, de verdade!
É sempre assim, então dá vontade de sair de casa, arregaçar as mangas e ir à luta!
Buscar o que procuro...
Comecei pelo livro, não sobre os escritores, mas o da lista.
Minha mãe disse que é bom então vamos conferir.
Enquanto minha irmã se divertia na piscina eu lia, não muito apenas o suficiente para manter-me ocupada.
O barulho pesado, a leveza do texto...
Então o que escolher? O peso ou a leveza?
Por enquanto ainda prefiro o segundo...
beijo, beijo, beijo...

sábado, 28 de fevereiro de 2009

Uma imagem vale mais que mil palavras...

Foto de: Henry Carier
Tem gente que tem talento. Ponto.
Tem aqueles que deixam sua marca na monocromia da imagem,
Uma escrita que não tem palavras, mas que marca de forma indelével.
As vezes um sorriso,
Uma lágrima,
Sensações e impressões que não podem ser definidas apenas sentidas.
Sem sinais gráficos, apenas sentimento.
beijo, beijo, beijo...

quarta-feira, 25 de fevereiro de 2009

FAMÍLIA


Sem palavras... É apenas uma parte (neste momento muito feliz) de nossa família!

Imagens de um final de semana de carnaval...


Beijo beijo, beijo...

sexta-feira, 20 de fevereiro de 2009

Não nasci para borboleta, sou vespa!

Tenho certeza você já percebeu, não nasci para borboleta, sou vespa.
Nem belas asas, nem esplendor colorido,
Sou inseto de asas simples,
Não espere que enfeite seu jardim,
Não sou lépida lepdoptera,
Minha ordem é outra.
Meu ferrão é dolorido,
E não é apenas defesa,
Também é ataque.
Minha arquitetura é estranha, você não gostaria de tê-la por perto.
Sou na minha, não tente interferir,
Não pense me domesticar,
Não me espere sair do casulo.
Porque eu,
Eu não nasci para borboleta,
Sou vespa.
Com toda a graça e charme que este inseto possa ter...

beijo, beijo, beijo...

quarta-feira, 18 de fevereiro de 2009

Made in china

Ela está do outro lado do mundo, mas sinto sua prensença divertida aqui comigo.

China, Coréia, Tailândia...

Seu lugar é aqui e está sempre em meu peito.
Meu coração lhe acolhe,
Minhas lembranças te mantém perto.

Piminha, te adoro!

beijo, beijo, beijo...

terça-feira, 17 de fevereiro de 2009




É isso que dá não ter nada para fazer, assistir DVD em plena terça à tarde...
Mas tudo bem, porque o filme é realmente muito bom. Sobre amizade em uma época que estou sentindo tanta falta das minhas amigas.
Não estou falando das amizades com que dividi o verão, não eu falo de outras tão importantes quanto elas.
Minhas amigas que durante quatro anos fizeram parte de cada dia meu.
Nós dividimos incertezas, no almoço e planos no lanche da tarde.
Estudamos para provas juntas e sanamos nossas dúvidas.
Emprestamos livros e ganhamos conselhos.

Durante quatro anos nós tivemos sonhos parecidos em sua completa disparidade.
Não penso que nenhuma de nós se imaginava menos que uma engenheira de sucesso e quem sabe algumas de nós tenhamos conseguido parte deste sonho. Não sei...

É para elas que hoje deixo meu carinho.
Para essas garotas fortes que desafiam a vida e enfrentam o que está a frente.
Amigas leais e insubstituíveis...
Se não forem os melhores abraços, com certeza são os mais seguros.
Vocês ainda fazem parte de cada dia, quando relembro a piada,
Quando preciso de conselho, quando vejo a fotografia.
beijo, beijo, beijo...
vcs moram no meu coração!








CONSPIRAÇÃO INTERNACIONAL


Todo mundo sabe de alguma coisa
Que eu não sei
De um filme que eu não vi
De uma aula que faltei
Por mais que eu tente
Eu nunca chego no horário
Eu perco tudo o que eu ponho no armário
Tudo atrapalha o que eu faço
Mas pros outros parece tão fácil
A fila que eu escolho
Vai sempre andar mais devagar
E o troco acaba bem na hora que eu vou pagar
Se eu me distraiso um único instante
Pode apostar que eu perco o mais importante
Tudo atrapalha o que eu faço
Mas pros outros parece tão fácil
Os vizinhos devem rir por trás do jornal
E eu desconfio de um complô
O maior que já se armou
Uma conspiração internacional
Todo mundo acha que o Rio de Janeiro
Não é bonito como foi no passado
Será que é verdade, será que eu devo acreditar
Quando eles dizem que eu cheguei atrasado
Nunca foi nada perfeito
Mas até que eu gosto assim desse jeito.
Ok, peguei emprestada esta música do kid abelha, nunca tinha ouvido, mas entrei no site e gostei
Adoro o kid, acho mesmo que é minha banda favorita entre todas as favoritas...
Agora vou voltar ao trabalho...
beijo, beijo, beijo.

domingo, 15 de fevereiro de 2009

Será que era assim?

Ou foram meus olhos que ludibriaram minha mente,
Meu coração que enganou minha cabeça,
Meus pensamentos que me levaram ao lugar comum,
Onde as paisagens parecem ser minhas e lembro de coisas que não vivi.

Será que era mesmo assim?
Será que meus pés já tocaram a grama,
Minhas mãos já deslizaram nos muros,
Meu corpo já se deixou cair.
Será que não é apenas tolice,
Um sonho inventado, que acreditei.
Uma manha na blusa que eu não usei,
Uma migalha do pão que não me alimentei,
Um amor ausente que inventei.

Será que era assim?

beijo, beijo, beijo...

quinta-feira, 12 de fevereiro de 2009

Meus melhores, só meus...

Meus melhores momentos estão guardados...
E ao escrever esta frase uma onda de lembranças chega em minha cabeça...
Meus melhores momentos, meus pequenos tesouros...
Coisas que por mais incrível que pareça quase não são comentadas.
Não são tabus, são apenas momentos... Meus momentos!
É incrível como se torna fácil comentar sobre outras coisas menos importantes e estes continuam lá, quietinhos em seu espaço sagrado apenas para mim.
Como se falar sobre eles os gastassem ou maculassem as imagens que guardo...
Meus melhores momentos são apenas meus...
Não os divido com mais ninguém!
E posso parecer egoísta ao dizer isso, mas o que se pode fazer?
Seus melhores momentos são apenas seus e quem sabe, se você os dividisse comigo eu também não lhes daria o devido valor, assim como você não compreenderia o porquê de meus momentos guardado terem sido os melhores quando já lhe contei tantas outras aventuras...
Então guardo o meu comigo e respeito a chave pendurada em seu peito...
Não vamos arrombar as fechaduras...


Beijo, beijo, beijo...

terça-feira, 10 de fevereiro de 2009

Eu fiz!

Tá legal eu confesso, eu fiz...
E se quer saber não sinto exatamente vergonha, e por que teria?
Sim. Eu levei um banco de madeira uma tarde que tive que enfrentar fila no banco!
Foi ótimo, eu me sentei peguei meu livro da mochila e comecei a ler. Quando a fila andava eu dava uma puxadinha no banquinho e lia mais um pouco...
Também fui eu quem soltou os sapos da caixa na faculdade,
Eu que faltava muitas aulas quando fazia matemática,
Eu que junto com minhas amigas queimei material do laboratório sem querer,
Eu que fui até a cidade vizinha sem desculpa nenhuma, só pra ficar com um carinha,
Eu que fui escoteira por treze anos e aguentei um monte de gente falar mau, aguentei um monte de gente me censurar um monte de gente me usar...
É eu fiz!
Joguei betes no último verão, e eu tenho 27 anos! quer saber? Amei!
Eu escrevi poemas que não quero que ninguém leia,
Eu recomendo livros,
Adoro seriado de Tv,
E amo muito papai e mamãe...

É eu fiz, eu faço novamente se for preciso...
tudo de novo...
Sem tristeza,
Sem remorsos,
Somente as boas lembranças, recordações de sensações emocionantes...

beijo, beijo, beijo...

segunda-feira, 9 de fevereiro de 2009

Tristes linhas...

Ler o que minha maninha escreveu hoje, mexeu uma ferida que eu achava já ter fechado.
Saudade, que dor imensa me causa a saudade...
Nos últimos dias meus textos tem sido reportagens de dias de sol e amigos, mas esse tempo se foi, agora resta a saudade e a espera... ano que vem quem sabe?
Mas a dor que senti não foi tão simples, não de algo tão recente.
Minha avó era uma pessoa sem igual, uma senhorinha de pele e cabelos muito claros...
Faz tanto tempo que nos deixou, e agora me fugiu a cor de seus olhos... porquê?
Queria me lembrar de cada detalhe, seu sorriso tímido seu jeito frágil...
Que dor eu senti naquele dia...
A flor que soltei sobre o caixão e parte da minha história sendo enterrada...
Minha querida avó que deus a tenha...

beijo.

sábado, 7 de fevereiro de 2009

Estive pensando...

Minha mãe odeia que eu inicie uma frase deste jeito, ela sempre acaba respondendo:
- Pensando? Jura?
O olhar bem característico que me faz olhar de lado e continuar a falar...
Pois então, estávamos hoje, eu e minha maninha, sentadas no parque conversando tranquilamente sobre amenindades pensando o quanto nossas mentes são "criativas", sei lá a gente viaja, pegamos um assuntinho sem graça e deixamos rolar...
Hoje falávamos sobre pequenos delitos de nossos conhecidos e como eles seriam vistos aos olhos da lei...
De um ladrãozinho (fato para o qual não temos prova) da cidade, ao nosso círculo de amizades não sobrou muita gente...
Então, acredito que ninguém é completamente imune...
Até uma amiga nossa, para quem não encontrávamos nada, pensamos tanto até lembrar de que ela batia nos colegas para defender uma amiga (por sinal minha irmã), AGRESSÃO!!!!
Pois é, ninguém está livre e eu até poderia continuar escrevendo, listando uma série de mancadas, ou pequenos deslizes, mas sei lá...
Vai que a polícia resolve prender a todos nós?
Então, que esqueletos estão guardados no seu armário????

beijo, beijo, beijo...

sexta-feira, 6 de fevereiro de 2009

As pequenas alegrias...



E vai dizer que é preciso dinheiro para ser feliz...
Tudo bem que a felicidade sozinha não enche barriga, mas o que seria de nós sem uma alegriazinha de vez em quando...
Aqui em casa cada coisinha nova é uma alegria.
Como a lagartixa que vimos noites atrás, foi logo um corre pegar a máquina, e então: Fotos (com teia de aranha e tudo...)!!!!
A gente também tenta aproveitar cada instante da melhor maneira...
Como o dia que fomos ao shoping e enconhtramos a toalha do timão:
- Gi, bate uma foto?
- Rapidinho, rapidinho...
E pronto, foto batida, momento feliz registrado...
beijo, beijo, beijo...